Gastronomia e transformação

22 de fevereiro de 2018

 

Pensando na gastronomia como forma de transformação social, o Servas lançou, em 2015, o Cozinha Inteligente em parceria com o Sesc e Senac. O curso de auxiliar de cozinha, com ênfase no aproveitamento integral de alimentos e gestão correta dos resíduos produzidos no ambiente de trabalho, está em sua quarta edição este ano e ainda finalizou um módulo extra para os participantes do Circuito Gastronômico de favelas de 2017.

O projeto tem o objetivo de ofertar a pessoas que não tem condições de se capacitar a oportunidade de se tornarem profissionais da culinária. “É um curso completo. Os alunos terminam sabendo cozinhar, sabendo de todos os processos existentes dentro de uma cozinha e com um diferencial para concorrer no mercado de trabalho, tornando-se um profissional mais consciente”, explica o diretor de investimento social do Servas, Rodrigo Rodrigues.

Aluna da edição passada, Janine Rocha é um exemplo do que afirma o diretor do Servas. Uma das mais aplicadas, ganhou uma bolsa de estudos para cursar gastronomia em uma universidade de Belo Horizonte e, atualmente, trabalha em um restaurante temático da capital. “Adoro. Foi fundamental para eu chegar onde estou hoje. Faria o curso todinho outra vez se pudesse. Mudei minha postura na cozinha, sabendo o que posso aproveitar e o que devo descartar”, comenta.

A aula inaugural deste ano ocorreu no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), no bairro Esplanada, mesmo local onde o curso acontece. O chef Leonardo Paixão, parceiro do Servas em outras ações, foi o convidado especial para dar boas-vindas aos alunos e falar um pouco de sua experiência na cozinha.

Ao todo, serão ministrados quatro módulos de aulas teóricas e práticas com duração de quatro horas/aula por dia. O primeiro será Gestão de Resíduos e Meio Ambiente. E em sequência serão Técnicas de Auxiliar de Cozinha e Gastronomia, Aproveitamento Integral de Alimentos, e o último deles, que foi incluído em 2016, Empreendedorismo e Transição de Carreira. Esse módulo foi elaborado para preparar os alunos para o mercado de trabalho e instruir aqueles que desejam montar seu próprio negócio.

Circuito

Logo no início de 2018, o Servas ofereceu um módulo extra para os participantes do Circuito Gastronômico de Favelas do ano passado. Durante uma semana, cerca de 20 profissionais da cozinha se especializaram em aproveitamento integral de alimentos e gestão de resíduos. No encerramento, fizeram um tour pelo Mercado Central, orientados pelo Chef Edson Puiati, para conhecer as variedades de produtos comercializados no quarto maior mercado do mundo. E ainda prepararam um arroz pilaf de frango sustentável, sob a orientação de Puiati, na Cozinha Escola Mineiraria.

A presidente do Servas, Carolina Pimentel, destacou a importância da gastronomia como instrumento de inserção social e para movimentar a economia. “Vivemos em um dos estados mais ricos quando o assunto é gastronomia. Então, por que não investir nela para promover a cidadania e oferecer ao mercado de trabalho profissionais diferenciados?”, indagou a presidente da instituição, feliz com o sucesso do Cozinha Inteligente.